É uma coisa bem engraçada que quando eu desço as ruelas do Pelourinho pela manhã, a caminho do trabalho, quase sempre tenho a impressão que sou uma personagem não-escrita de Álvares de Azevedo saindo da casa de alguém da nobreza depois de uma noite de orgia .

Me agradam temas como a morte, o sexo e a embriaguez.
Me agrada o gozo. Me agrada o sangue. Me agrada o que é lânguido..
Me fascina a faca enfiada na carne. Me encanta a frieza de um corpo sem vida.

Sim, toda essa morbidez me faz feliz.

provocação

ele disse que ossos, carne e sangue significam vida.
Então sobre o que falarei se o que desejo é a morte?
Não, não seja tolo, não desejo morrer. Desejo a morte.
Desejo o limite entre o estar vivo e o não estar.

Não mais sofro a claridade.
Praguejo a luz do dia.
Embriago-me na praças abertas.

E toda essa poesia gótica já me é natural.
Corre nas veias.

Quando desce a noite, não preciso me vestir de preto.
O santo manto negro já está sobre mim.
Vive sobre mim.
Invisível. Invencível.

Brinco com facas.
E não mais preciso me esconder.
Por isso não te matei.
Por que a morte já me é conhecida.
Já consigo enxerga-la em suas formas mais sutis.

Mas permaneça ao meu lado...
Espere por um dos dias em que o café não estiver quente o suficiente,
Ou um dia em que o esmalte que procuro acabar.
Nesse instante de loucura, meu caro,
você verá seu sangue, de forma nada abstrata, escorrer pelas minhas coxas morenas.

Epitáfio

Sabine era uma prostituta. Fazia um oral como ninguém. Sabine era uma francesa negra de olhos atentos e mãos pequenas. Sabine morreu. Ninguém sabe como nem quando. Sabine morreu. Mas era uma ótima prostituta.

Só me interessa o que não é meu

- Manifesto Antropofágico, Oswald de Andrade

Uma lua enorme se escondia de mim atrás das árvores. Sorri. Nesse dia do ator eu eu me sentia, mais do que nunca, uma fingidora poética.
Tomei o ônibus em direção à escola de teatro. Conforme eu havia prometido a ele, eu veria sua cena hoje. No ônibus eu pensei Neles, o coletivo de artistas cênicos. Afinal eu estava estava indo vê-los e... eu sempre estava pensando neles. Morreria pensando neles. Ou os mataria.

Torpe

adj. Impudico, desonesto.
Infame, vergonhoso.
Obsceno, indecente.
Sórdido.